Tuesday, February 28, 2017

The Social Obligation of the Brazilian Man to SHOW a White Wife // A Obrigação Social do Homem Brasileiro de Ostentar um Esposa Branca

Slavery in Brazil did not end, it only disguised itself over the centuries. If we pay attention to the architecture and luxury apartments of our times, we can clearly find the model of the large house and the slave quarters when we see the "little room", a small, dark, sometimes windowless, poorly ventilated room. When we hear complaints from the employees of the abuses and the act of dehumanizing them by the bosses, of not being able to use the cutlery, of not being able to eat the food, and often of not being able to use the bathroom ... Modern slavery Is to earn 300 reais a month to work 10 hours a day in a house and be treated like an animal, but for visits the insistence on the cliché phrase: "She is a member of our family."

This social behavior in the labor environment extends to the affective environment, for these servants are most often abused, harassed and even raped by the bosses as an animal that is there not only to serve the whole family as a slave but also to attend The sexual needs of their bosses and the sons of these bosses. And this subject is absolutely normal in a male chauvinist conversation between men, about how he satiated his sexual needs with such maids. Since this class of women whose profession is hereditary, this profession is directly linked to the descendants of slaves who do not have the slightest chance of social ascension, today's maids are daughters, granddaughters, and great-grandchildren of other past employees. And in the masculine mind man can never be in a relationship with these often black, sometimes half-breed, women who would never be respected by their friends in a bar talk. The white man of the Brazilian social elite will not dare admit to a PUBLIC relationship with a black woman, a descendant of slaves, he will never be subjected to racist jokes in assuming a black woman, thus eliminating one more way for these women to ascend socially, as many women White people succeed, are born poor, often stupid and ignorant, and thus continue into adulthood, do not seek to improve their intellect and culture, and do not necessarily need to, but because of their color meet the mandatory Brazilian social standard of forming a family , This means: skin color and hair as the ONLY prerequisite, THE WHITES, EVEN THE BORN IN THE MISERY, for the simple fact of being white has the chance to change social class. Black people do not. In effect, this opportunity for improvement in social status does not extend to black women and, therefore, the heredity of the maid profession and the hyper-sexualisation of the same in a male conversation.

The man would lose his power and status if he exhibited a black as wife, the mother of his children, and since this is a rule, almost an obligation among middle-class men, this behavior is also reproduced among men of poor classes and even men Black. It becomes a masculine status: To sport a white wife, to choose a white wife to form a family. The men put the blacks in another "box" in their mind: Only for Sex. The consequence of this act is the extra marital relationships that the black lover is often with whom the man prefers to spend most of the time and the encounter with his white social partner becomes a statute, the fulfillment of a much less pleasant obligation , Since his choice was based only on the race, often this white man ends up being disappointed with the passage of the years with this white woman who did not offer him real qualities worthy of him to love it and then he outside the marriage obtains a woman that he Can admire, and often want to spend most of the time with her, and in some cases even have children, other children with her, children these mestizos, bastards, totally hidden, out of the image he exhibits for society.

The ostentation of the white woman as a wife becomes a standard, a symbol of power, copied by poor men, including black men, in the mid-21st century the social requirements for a marriage are not based on the personality and personal qualities of that woman, who Often it does not. I usually say that if the light-skinned woman "dyes the hair yellow" in Brazil, she does not even have character, one of the most important qualities, but rather she will find a partner who wants to share her life with her, and sign A document passing his goods legally to her, while the black or half-breed with whom he enjoys most of the time, will not have those financial rights.




A escravidão no Brasil não acabou, apenas se disfarçou com o passar dos séculos. Se prestarmos atenção na arquitetura e nos apartamentos de luxo dos tempos atuais, podemos encontrar claramente o modelo de casa grande e senzala quando vemos o "quartinho de emprega", um ambiente pequeno, escuro, as vezes sem janela, mal ventilado. Quando ouvimos queixas da parte das empregadas pelos abusos e o ato de desumaniza-las, cometidos pelos patrões, de não poder usar os talheres, de não poder comer a comida, e muitas vezes de não poder usar o banheiro... A escravidão moderna é ganhar 300 reais por mês para trabalhar 10 horas por dia em uma casa e ser tratada como um animal,mas para as visitas a insistência na frase clichê: "Ela é um membro da nossa família".

Esse comportamento social no ambiente trabalhista se extende para o ambiente afetivo, pois essas serviçais são na maioria das vezes abusadas, assediadas e até mesmo estupradas pelos patrões como um animal que está ali não só para servir á toda a família como uma escrava mas também atender as necessidades sexuais de seus patrões e os filhos homens desses patrões. E esse assunto é absolutamente normal numa conversa machista de bar entre os homens, sobre como ele saciou suas necessidades sexuais com as tais empregadas. Visto que essa classe de mulheres cuja profissão é hereditárias, essa profissão está diretamente ligada aos descendentes dos escravos que não possuem a minima chance de ascensão social, as empregadas de hoje são filhas, netas e bisnetas de outras empregadas passado. E na mente masculina o homem jamais poderá assumir um relacionamento com essas mulheres muitas vezes negras, outras vezes mestiças, pois jamais seriam respeitados pelos seus amigos numa conversa de bar.

O homem branco da elite social brasileira não vai ousar admitir um relacionamento PÚBLICO com uma mulher negra, descendente dos escravos, ele jamais será sujeito á sofrer chacotas racistas em assumir uma mulher negra, eliminando assim mais uma maneira dessas mulheres ascenderem socialmente, como muitas mulheres brancas conseguem, nascem pobres, muitas vezes estúpidas e ignorantes, e assim continuam na idade adulta, não buscam aprimorar seu intelecto e cultura, e necessriamente não precisam, mas por causa de sua cor atender o padrão obrigatório social do homem brasileiro de formar uma familia, isto significa: cor da pele e cabelo como ÚNICO pré-requisito, AS BRANCAS, MESMO AS NASCIDAS NA MISÉRIA, pelo simples fato de serem brancas tem a chance mudar de classe social. As negras não. Afetivamente essa oportunidade de melhora de condição social não se extende ás mulheres negras e por isso a hereditariedade na profissão de empregada doméstica e a também hiper-sexualização das mesmas numa roda de conversa masculina.

O homem perderia seu poder e status se exibisse uma negra como esposa, mãe de seus filhos, e como isso é uma regra, quase que uma obrigação entre os homens de classe média, esse comportamento também é reproduzido entre homens de classes pobre e inclusive homens negros. Torna-se um status masculino: Ostentar uma esposa branca, escolher uma branca para formar uma família. O homens coloca as negras em outra" caixinha" em sua mente: Somente para Sexo.

A consequência desse ato são os relacionamentos extra conjugais que muitas vezes a amante negra é com quem o homem prefere passar a maior parte do tempo e o encontro com sua parceira social branca vai se tornando um estatuto, o cumprimento de uma obrigação, bem menos prazeroso, já que sua escolha foi baseada somente na raça, muitas vezes esse homem branco acaba se decepcionando com o passar dos anos com essa mulher branca que não lhe ofereceu qualidades reais digna de ele a amasse e então ele fora do casamento consegue uma mulher que ele consiga admirar, e queira muitas vezes passar a maior parte do tempo com ela, e em algum casos até tem filhos, outros filhos com ela, filhos esses mestiços, bastardos, totalmente ás escondidas, fora da imagem que ele exibe para a sociedade.

A ostentação da mulher branca como esposa torna-se um padrão, um símbolo de poder, copiado por homens pobres, inclusive homens negros, em pleno século 21 os requisitos sociais para um casamento não se baseia na personalidade e nas qualidades pessoais dessa mulher, que muitas vezes ela não apresenta. Eu costumo dizer que se a mulher de pele clara "pintar o cabelo de amarelo" no Brasil, ela não precisa nem ter caráter, uma das qualidades mais importantes,  e sim ela irá encontrar um parceiro que queira dividir sua vida com ela, e assinar um documento passando seus bens legalmente para ela, enquanto que a negra ou a mestiça com quem ele se diverte a maior parte do tempo, não terá esses direitos financeiros.