Monday, December 19, 2016

Reflexões sobre racismo no Brasil

Refletindo o racismo no Brasil...
Fato que me aconteceu:
...Uma amiga anos depois da minha volta forçada da Inglaterra ao Brasil veio comentar que seu então namorado fez a ela a seguinte pergunta:
- Agora você deu pra andar com aquela crioula?
Minha própria reflexão...
Não somente esse fato mas muitos de outros caras, racistas, preconceituosos me preteriram, me rejeitaram por causa da minha raça/cor/aparência. Durante toda a minha vida eu caminhei praticamente sozinha, independente, tendo que trabalhar para me sustentar e realizar minhas metas e meus desejos, pois eu não tinha a "cor certa" para ser namorada/noiva/esposa no ambiente brasileiro que eu vivi. Isso me ensinou a ser extremamente independente, a não me tornar parasita de homem, como muitas mulheres que eu conheço. Hoje eu vejo que se você não supera o racismo ele te paralisa, você fica estagnado, rebaixado, se contentando com migalhas. Eu aprendi a caminhar sozinha, morei nas maiores capitais do Brasil com meu próprio dinheiro, morei na Inglaterra com meu próprio dinheiro, vim morar nos Estados Unidos com meu próprio dinheiro, viajo todo os Estados Unidos com meu próprio dinheiro. Hoje eu reflito que as exclusões e rejeições desses medíocres me salvaram deles mesmo. Pobre e miserável é a mulher que decide dividir a vida com um cara que é racista e preconceituoso. Pobre dela mais ainda quando ela se torna parasita e dependente dele. Se ao invés de ter sido preterida e rejeitada eu tivesse tido a raça/cor/aparência "certa" e tivesse servido para namorar/noivar/casar com algum desses medíocres falsos burgueses racistas eu teria que viver SOB às condições deles, eu teria que me SUBMETER à eles tendo em vista que além de racista a sociedade é extremamente #machista e eu teria que me renunciar a mim mesma como vejo amigas que foram "escolhidas" se lamentando. Ter sido rejeitada me fez independente, aprendi a caminhar com minhas próprias pernas e ir exatamente aonde eu quero, me sustentei sozinha, não sei o que é ser parasita de homem nenhum. Ter me bancado me fez escolher ir aonde eu quero ir, me fez comprar exatamente o que eu quero comprar, me fez viajar exatamente para onde eu queria viajar, me fez descobrir o que eu amo fazer e faço, numa das melhores escola do mundo, pago a mensalidade em dia como sempre paguei, a diferença é que não sou insultada nem difamada. As rejeições me salvaram de um atraso de vida, de um atraso mental, de viver numa bolha por que eu tive que explorar o mundo pra entender o quanto aquelas pessoas são pequenas e medíocres. Como poderia amar uma criatura que seleciona pela cor da pele, acredito eu que amor vem de admiração e eu só amo o que eu admiro. Fico imaginando o que as mulheres que foram "escolhidas" devem passar na mão desses caras. Eu não tive que me submeter a nenhum deles, eu não tive que aceitar a nenhumas condições impostas por eles, muito menos aceitar e ter que conviver com pessoas de visão limitada, atrasada e preconceituosa. Minha cor/raça/aparência me salvou de tanta gente pequena e medíocre. Pobre de quem tem que conviver com um desses 24 horas por dia. A rejeição que um dia destruiu minha auto estima hoje vejo que foi um impulso pra mulher não se submete e nem se rebaixa a nada e ninguém que me tornei.